Já em idade escolar, Karl ingressou no Karlsruhe Lyceum onde, entre outras disciplinas, se dedicou ao estudo da física, a sua temática preferida.

Embora as propinas anuais pagas no liceu fossem o equivalente a dois meses de pensão da sua mãe, que enviuvara quando Karl tinha apenas dois anos de idade, nunca deixou de se sacrificar, juntando o suficiente para que o seu filho continuasse a estudar, acabando mais tarde por completar o curso no instituto Karlsruhe Polytechnic. Foi ali que Benz começou a interessar-se pelo motor de combustão interna.

Depois de ter tentado a sua sorte como emigrante na Áustria, em 1871, Karl Benz regressou à Alemanha, abrindo uma pequena oficina na zona de Mannheim, onde iniciou o desenvolvimento de um motor a dois tempos.

Em 1883, nascia a Benz & Cie. Rheinische Gasmotoren-Fabrik Mannheim. O seu grande projecto era um automóvel movido por motor de combustão interna. O primeiro protótipo de Benz via a luz do dia na Primavera de 1885 e durante o Outono este percorria, pela primeira vez, a distância de 1000 metros à velocidade média de 12 km/h, numa estrada pública.

Considerado o primeiro automóvel do mundo equipado com motor a gasolina, o triciclo de Karl Benz tinha, todavia, várias soluções mecânicas semelhantes às que encontramos ainda hoje nos automóveis do dia-a-dia. A começar pelo motor refrigerado a água, ignição eléctrica, um diferencial mecânico e válvulas de admissão do tipo automático.

O triciclo de Karl Benz estava equipado com um motor monocilíndrico a dois tempos, colocado horizontalmente debaixo do banco, com um vaporizador (ou carburador) a fornecer a mistura ar/gasolina para a combustão interna. Os ¾ de cv de potência originais, desenvolvidos entre as 250 e as 300 rotações por minuto, eram transmitidos às rodas traseiras por meio de duas correntes que, por sua vez, eram accionadas por meio de um diferencial. A direcção era por pinhão e cremalheira, comandada por uma manivela horizontal.

A primeira grande viagem com um automóvel foi efectuada pela senhora Benz em Agosto de 1888. Berta Ringer partiu de Mannheim às cinco da manhã, com os seus dois filhos, de 14 e 15 anos de idade, em direcção a Pforzheim, que distava cerca de 100 km.

Depois de várias paragens e assistência manual durante as subidas, a aventureira senhora chegava ao seu destino. Curiosamente, a primeira viagem de automóvel ficaria para a história como tendo sido feita por uma dona de casa de meia-idade, provando, de uma assentada, o valor deste novo meio de transporte e da capacidade feminina.

O protótipo Benz que habita no Museu do Caramulo é uma réplica feita pelo fabricante inglês John Bentley & Sons Ltd., sob licença da Mercedes-Benz, aquando do seu centenário, em 1986, semelhante ao utilizado pela senhora Benz na sua épica viagem de Mannheim a Pforzheim, em Agosto de 1888.

Depois de várias paragens e assistência manual durante as subidas, a aventureira senhora chegava ao seu destino. Curiosamente, a primeira viagem de automóvel ficaria para a história como tendo sido feita por uma dona de casa de meia-idade, provando, de uma assentada, o valor deste novo meio de transporte e da capacidade feminina.

O protótipo Benz que habita no Museu do Caramulo é uma réplica feita pelo fabricante inglês John Bentley & Sons Ltd., sob licença da Mercedes-Benz, aquando do seu centenário, em 1986, semelhante ao utilizado pela senhora Benz na sua épica viagem de Mannheim a Pforzheim, em Agosto de 1888.