A colecção do Museu do Caramulo foi reforçada com este magnífico Maybach SW42, exemplar único em Portugal.

Fundada em 1909, por Wilhelm Maybach, que renunciou ao cargo de director técnico da Daimler, a empresa Luftfahrzeug-Motorenbau GmbH especializou-se na produção de motores para comboios e dirigíveis (os famosos Zeppelin). Após a Primeira Guerra Mundial, sob a direcção do seu filho, Karl Maybach, a então renomeada empresa Maybach-Motorenbau GmbH (Empresa de Construção de Motores Maybach), inicia a produção de motores para automóveis, já que, no cumprimento do Tratado de Versailles, as empresas alemãs estavam proibidas de fabricar motores aeronáuticos.

Em 1921 é produzido o primeiro veículo Maybach, sendo apresentado no Salão de Berlim desse mesmo ano. O Maybach W.3 era um dos veículos mais caros do mercado alemão, e, entre 1921 e 1941, a marca era responsável pela produção da maioria dos modelos de luxo da indústria automóvel alemã, entre os quais o Type SW42. É essa herança, ligada ao luxo e exclusividade, que associamos à marca até aos dias de hoje. No total, foram fabricados cerca de 615 modelos SW, nas versões coupé, cabriolet e limousine, que, ainda que partilhando o mesmo chassis, apresentavam distâncias entre eixos distintas. A Segunda Guerra Mundial já havia começado, quando, em 1939, o primeiro SW42 saiu da fábrica. O chassis era construído por Maybach e as carroçarias fornecidas por outras empresas, nomeadamente a Glass, Spohn ou até a Sodomka na actual República Checa. Independentemente de quem produzia as carroçarias, os interiores do Maybach 42 utilizavam sempre materiais de alta qualidade, especialmente os construídos por Spohn, que já apresentavam janelas operadas electricamente.

Acredita-se que o último veículo construído sobre um chassis SW42 tenha sido na Erdmann & Rossi (Berlim), em 1949, para um oficial da Alemanha Oriental.

Era entendimento comum à época, que, uma construção personalizada precisava ser feita por especialistas em carroçarias e o chassis e o motor por outros especialistas nas respectivas áreas. Dos 133 chassis construídos por Maybach para o SW42, a principal diferença entre o SW38 e o SW42 era a cilindrada do motor, que viu reduzida a taxa de compressão para 6,6:1, em vez de 8:1. Foi necessária essa redução por falta de combustível de melhor qualidade, esse ao serviço do “esforço de guerra” do exército alemão, desse modo, também os carburadores foram modificados, para queimar o combustível de menor qualidade.

Depois da Segunda Guerra Mundial a Maybach não voltou à produção automóvel, até ser adquirida em 1960 pela Daimler, que a fez renascer no final do século XX como marca própria de automóveis de luxo. Em 2016, em face dos elevados custos financeiros e reduzido sucesso de vendas como marca própria, a Mercedes optou por atribuir ao seu segmento de ultra-luxo a designação Mercedes-Maybach.

Ficha técnica:
1941
Alemanha
140 CV
6 cilindros
4196cc
4 velocidades
2250 Kg
159 Km/h